PADROEIRO
Quadro cronológico da vida de Santo Antônio

Nasceu em Lisboa, Portugal, a 15 de agosto de 1195.


Os pais: Martim de Bulhões e D. Tereza Taviera, “ambos de sangue nobre”.


Toma o hábito de Cônego de Santo Agostinho, em 1210.

Conhece em Coimbra os cinco franciscanos que ali se detêm, antes de partirem para Marrocos, em 1217.

Em 1219 é ordenado sacerdote.


No ano seguinte, chegam a Coimbra as relíquias dos Mártires de Marrocos.


Fernando troca o hábito agostiniano pela veste marrom dos franciscanos e toma o nome de Antônio.

Parte para a África em busca do martírio e participa do Capítulo das Esteiras, em 1221. Um ano depois sobe ao púlpito e se revela grande orador sagrado.

Em 1223 é designado professor de Teologia em Bolonha, e quase dois anos depois, enviado à França para lutar contra as heresias.

É eleito superior da Província de Limoges, na França, em 1226, e, no ano seguinte, designado Provincial da Emílias, na Itália.


Assiste à canonização de São Francisco, aos 16 de Julho de 1228.

Finalmente, pede dispensa de qualquer função de governo da congregação para se dedicar somente à pregação.


Após notáveis e concorridíssimos sermões da Quaresma de 1231, em Pádua, morre a 13 de Junho do mesmo ano, junto às portas da cidade. Sua saúde, aliás, era precária, há muito tempo: sofria de asma e de hidropisia, talvez, sofresse também de diabetes.

Solenemente canonizado a 30 de maio de 1232, na Catedral de Espoleto - Itália.

As representações do Santo

Não temos um retrato de Santo Antônio feito quando ele era vivo, mas pouco depois. Antigas pinturas o representam com uma imagem quase idênticas a São Francisco de Assis, do qual se distingue apenas pela ausência dos estigmas.
Seguem aqui alguns dos símbolos mais identificadores da iconografia antoniana:

1. O hábito franciscano


É um atributo que aparece desde a primeira hora e sempre serviu como mesma chave-de-leitura: quer dizer que ele é franciscano. No século XV apareceram algumas breves representações que mostravam o santo com um hábito cinza, dos penitentes ou mendicantes; o corte tonsurado do cabelo tem o mesmo significado.

2. O livro


Representa o Evangelho e a sabedoria de Antônio, primeiro mestre de teologia da Ordem dos Frades Menores e doutor da Igreja. lembra o pregador que arrebatava as multidões com as palavras do Evangelho. Por sua sabedoria bíblica, o Papa Gregório IX chamou-o de “Armário (arca) do Testamento”.

3. O menino


O menino é visto em três tipos de representação:


a) Em cima do Livro:

Em geral aparece sobre o livro aberto que o santo tem na mão, em gesto de quem abençoa, ou, usando um gesto de origem grega, com os dedos médio e indicador levantados, juntos, como a chamar a atenção para alguém que vai falar (no caso, o santo, pregando).


b) No colo do Santo:
Em outras representações, o livro aparece de lado, e o menino Jesus está no colo de Antônio, numa atitude de extraordinária familiaridade, acariciando-lhe o rosto.


c) Sendo mostrado ao Santo pela Virgem Maria:
Um quadro (reproduzido em alguns santinhos, mostra a Virgem apresentando o Filho à adoração de Antônio).

4. O lírio


O lírio é um símbolo-atributo que aparece nas representações artísticas após o século XV e se torna popularíssimo; tem dois significados: o mais antigo remete a Pádua; o lírio é a flor da estação na qual Antônio morreu; é a flor do campo, ornamental, perfumada, medicinal e frágil. O outro significado simbólico, posterior ao primeiro, refere-se à pureza, à castidade, à pobreza e ao vigor do testemunho de vida, na entrega do coração virginal a Deus. Há ainda um terceiro atributo, paralelo: a natureza, mostrada, pelos franciscanos, como sinal de Deus.

5. A cruz na mão


A cruz na mão (do século XVI) pode significar duas coisas: o espírito missionário da santo, ou, seu desejo de tornar-se um mártir da fé.

6. Os pés desencontrados


Se observarmos as imagens de Santo Antônio, veremos que seus pés não estão um ao lado do outro, mas um mais à frente do outro; trata-se de um indicativo de “em marcha”, “a caminho”, atitude que sempre caracterizou seu trabalho missionário.

7. A fisionomia adolescente


O rosto jovem, alegre e belo é conseqüência, como já vimos, daquela perfeição que a religiosidade popular passa à arte, relativamente aos santos e bem-aventurados; significa, também, a jovialidade do espírito do cristão.

8. O pão


Em certas obras de arte antiga (séc XVI-XVII) vê-se o santo distribuindo o “pão dos pobres”; esse atributo é o mais recente; apareceu em Messina, na Sicília, em meados do século XIX, durante uma época de fome.

9. A chama


A chama de fogo que aparece em alguns ícones, especialmente orientais, simboliza o amor divino, o zelo e a paixão do santo por Jesus e seu Evangelho.

10. A nogueira


Pouco antes de morrer, com falta de ar, Frei Antônio pediu que amarassem sua cela no topo de uma nogueira frondosa. O santo já estava doente; falam de hidropisia e asma; há quem suspeite de obesidade e diabetes; ali, além da altura, que proporcionava o ar fresco, o odor das resinas da árvore mantinha-o defendido dos mosquitos; pois mesmo ali vinha gente ouvir sua palavra.

11. O terço


Para explicitar que Santo Antônio era um homem de oração, a iconografia do século XVI representou-o com um terço pendurado à cintura. O terço foi criado por São Domingos de Guzman, utilizando antigos modelos orientais.

Devoções, tradições e crenças

As primeira manifestações de culto deram-se logo após a morte do santo, desdobrando-se depois, passo a passo numa constelação de práticas, devoções e crenças algumas das quais, mais conhecidas, são aqui elencadas:

Santo Casamenteiro 

Assim é invocado pelas moças que desejam casar e assim é lembrado pelo folclore. A origem desta devoção é mal conhecida, podendo estar ligada com a sensibilidade do Santo em relação aos pobres, cuja condição impedia muitas moças de se casarem por não conseguirem o dote necessário. Também pode ser explicada por algum prodígio do Santo em poder das mulheres, como aquele em que um recém-nascido foi levado a falar em defesa da própria mãe, acusada, injustamente de infidelidade pelo pai. Mas há um relato de um episódio que oferece uma explicação mais direta. certa senhora, no desespero da miséria a que fora reduzida, decidiu valer-se da filha, prostituindo-a para sair do atoleiro. Mas a jovem, bonita e decidida, não aceitou de forma alguma. Visto que a mãe não parava de insistir, ela resolveu recorrer à ajuda do Santo. Rezava ela com grande confiança e muitas lágrimas dinate da imagem quando das mãos do Santo caiu um bilhete, com a assinatura dele, que foi parar nas mãos da moça. Era um recado dirigido a um comerciante da cidade, pedindo para dar à moça, em moedas de prata, o correspondente ao peso daquele papel.
A jovem não duvidou e correu com o bilhete na mão à loja do comerciante. este achou graça. mas vendo a atitude modesta e digna da moça, colocou o bilhete num dos pratos da balança e no outro deixou cair uma moedinha de prata. mas qual! O bilhete pesava mais! Intrigado e sem entender o que se passava, foi colocando mais uma moeda e outras muitas, só conseguindo equilibrar os pratos da balança quando as moedas atingiram o valor de um dote. O episódio tornou-se logo conhecido e a moça começou a ser procurada por bons rapazes propondo-lhe casamento, o que não tardou a acontecer e o casamento, o que não tardou a acontecer e o casamento foi muito feliz. Daí por diante, as moças começaram a recorrer a Santo Antônio sempre que se tratasse de casamento.

 

Santo das coisas perdidas

Esta tradição é antiqüíssima, encontrando-se menção dela no famoso responsório “Si quaeris miracula”, extraído do ofício rimado de Juliano de Spira. Popularmente o “Si quaeris” é mencionado como uma oração taumaturga para encontrar objetos perdidos. A crença pode estar ligada a episódios como este: quando Frei Antônio ensinava teologia aos frades em Montpellier, na França, um noviço fugiu da Ordem levando consigo o saltério do Santo, com preciosas anotações pessoais. Rezou o santo pedindo a Deus para dar um jeito de reaver o livro, e foi atendido deste modo: enquanto o fugitivo ia passando por uma ponte, foi subitamente tomado de pavor, parecendo-lhe ver o demônio à sua frente intimando-o: “Devolve o saltério a frei Antônio ou vou jogá-lo da ponte para o rio!” Assustado e arrependido, o jovem voltou ao convento com o saltério e confessou ao santo sua culpa.

 

Trezena

É uma novena de 13 dias lembrando a data da morte de Santo Antônio, que também é lembrado no dia 13 de cada mês, porque “Dia 13 não é dia de azar, é dia de Santo Antônio”. Outros lembram Santo Antônio nas terças-feiras, dia em que foi sepultado.

 

Breve de Santo Antônio

Consiste numa medalha ou imagem do santo para se levada consigo, com esta sentença escrita no verso: “Ecce Crucem Domini, fugite partes adversae! Vicit Leo de Tribu Juda, radix David. Alleluia, Alleluia!”. Eis a Cruz do Senhor, afastai-vos forças adversas! Venceu o Leão da tribo de Judá, da raíz de Davi. Aleluia, aleluia! esta sentença teria sido revelada pelo Santo a uma senhora que estava possessa, a fim de ser por ela libertada. É uma devoção que remonta ao século XIII.

Orações de Santo Antônio

1. Oração para os namorados


Meu grande amigo Santo Antônio, tu que és o protetor dos enamorados, olha para mim, para a minha vida, para os meus anseios. Defende-me dos perigos, afasta de mim os fracassos, as desilusões, os desencantos. Faze que eu seja realista, confiante, digno e alegre. Que eu encontre um amor que me agrade, seja trabalhador, virtuoso e responsável. Que eu saiba caminhar para o futuro e para a vida a dois com as disposições de quem recebeu de Deus uma vocação sagrada e um dever social. Que meu amor seja feliz e sem medidas. Que todos os enamorados busquem a mútua compreensão, a comunhão de vida e o crescimento na fé. Assim seja.

2. Oração para obtenção de graças


Glorioso Santo Antônio, que tivestes a sublime dita de abraçar e afagar o Menino Jesus, alcançai-me deste mesmo Jesus a graça que vos peço e vos imploro do fundo do meu coração (pede-se a graça).
Vós que tendes sido tão bondoso para com os pecadores, não olheis para os pecados de quem vos implora, mas antes fazei valer o vosso grande prestígio junto a Deus para atender o meu insistente pedido. Amém.

3. Responsório de Santo Antônio

 

Se milagres desejais,
Recorrei a Santo Antônio;
Vereis fugir o demônio
E as tentações infernais.

Recupera-se o perdido,
Rompe-se a dura prisão
E no auge do furacão
Cede o mar embravecido.

Todos os males humanos
Se moderam, se retiram,
Digam-no aqueles que o viram,
E digam-no os paduanos.

Recupera-se o perdido,
Rompe-se a dura prisão
E no auge do furacão
Cede o mar embravecido.

Pela sua intercessão
Foge a peste, o erro, a morte,
O fraco torna-se forte
E torna-se o enfermo são.

Recupera-se o perdido,
Rompe-se a dura prisão
E no auge do furacão
Cede o mar embravecido.

Glória ao Pai, e ao Filho e ao Espírito Santo.

Recupera-se o perdido,
Rompe-se a dura prisão
E no auge do furacão
Cede o mar embravecido.

V: Rogai por nós, bem-aventurado Antônio.
R: Para que sejamos dignos das promessas de Cristo.

4. Oração para achar objetos perdidos


Eu vos saúdo, glorioso Santo Antônio, fiel protetor dos que em vós esperam. Já que recebestes de Deus o poder especial de fazer achar os objetos perdidos, socorrei-me neste momento, a fim de que, mediante vosso auxílio, eu encontre o objeto que procuro... Alcançai-me, sobretudo, uma fé viva, uma esperança firme, uma caridade ardente e uma docilidade sempre pronta aos desejos de Deus. Que eu não me detenha apenas nas coisas deste mundo. Saiba valorizá-las e utilizá-las como algo que nos foi emprestado e lute sobretudo por aquelas coisas que ladrão nenhum pode nos arrebatar e nem iremos perder jamais.
Assim seja.

5. Ato de consagração a Santo Antonio


Ó grande e bem-amado Santo Antônio de Pádua!
Vosso amor a Deus e ao próximo, vosso exemplo de vida cristã, fizeram de Vós um dos maiores Santos da Igreja.
Eu vos suplico tomar sob vossa proteção valiosa minhas ocupações, empreendimentos, e toda a minha vida.
Estou persuadido de que nenhum mal poderá atingir-me enquanto estiver sob vossa proteção.
Protegei-me e defendei-me: sou um pobre pecador. Recomendai minhas necessidades e apresentai-vos como meu medianeiro a Jesus, a quem tanto amais.
Por vosso mérito, Ele aumente minha fé e caridade, console-me nos sofrimentos, livre-me de todo mal e não me deixe sucumbir na tentação.
Ó Deus poderoso, livrai-me de todo o perigo do corpo e da alma. Auxiliado continuamente por Vós, possa viver cristãmente e santamente morrer.
Amém

6.Oração pela família


Querido Santo Antônio!
Abençoai e protegei a nossa família.
Conservai-a sempre unida no amor.
Assisti-a nas necessidades temporais
e afastai dela todo mal.
Abençoai-nos.
Fazei que nunca nos falte trabalho
como também todas as coisas necessárias
para podermos viver honestamente
e educar bem os filhos.

Frases de Santo Antônio

"Deus é Pai de todas as coisas. Suas criaturas são irmãos e irmãs."


"É viva a Palavra quando são as obras que falam."


"Quando te sorriem prosperidade mundana e prazeres, não te deixes encantar; não te apegues a eles; brandamente entram em nós, mas quando os temos dentro de nós, nos mordem como serpentes."


"Uma água turva e agitada não espelha a face de quem sobre ela se debruça. Se queres que a face de Cristo, que te protege, se espelhe em ti, sai do tumulto das coisas exteriores, seja tranquila a tua alma."


"A paciência é o baluarte da alma, ela a fortifica e defende de toda perturbação."


"Ó meu Senhor Jesus, eu estou pronto a seguir-te mesmo no cárcere, mesmo até a morte, a imolar a minha vida por teu amor, porque sacrificaste a tua vida por nós."


"Como os raios se desprendem das nuvens, assim também dos santos pregadores emanam obras maravilhosas. Disparam os raios, enquanto cintilam os milagres dos pregadores; retornam os raios, quando os pregadores não atribuem a si mesmos as grandes obras que fazem, mas à graça de Deus."


"Ó Senhor, dá-me viver e morrer no pequeno ninho da pobreza e na fé dos teus Apóstolos e da tua Santa Igreja Católica."


"Neste lugar tenebroso, os santos brilham como as estrelas do firmamento. E como os calçados nos defendem os pés, assim os exemplos dos santos defendem as nossas almas tornando-nos capazes de esmagar as sugestões do demônio e as seduções do mundo."


"Quem não pode fazer grandes coisas, faça ao menos o que estiver na medida de suas forças; certamente não ficará sem recompensa"

SOBRE NÓS

Em Bento Gonçalves, desde 1878 (data da primeira festa) e desde 1884, data da criação desta paróquia, Santo Antônio é venerado como padroeiro do município. A nossa trajetória é repleta de fé. Em 1875, chegaram os primeiros imigrantes italianos e, em 1876, fora enviado pelos bispos italianos, o padre Bartolomeu Tiecher. Neste ano, foi celebrado a primeira missa junto à cruzinha, localizada em frente ao Santuário. 

Em 1934, quando comemorou o 50º aniversário da Paróquia Santo Antônio, a comunidade recebeu o decreto de elevação da igreja matriz para Santuário Diocesano de Santo Antônio. No dia 31 de dezembro de 2019, foi celebrado o Jubileu de 85 anos do Santuário.

LOCALIZAÇÃO

(54) 3452-1634

Rua Marechal Deodoro, 263 - Centro,

Bento Gonçalves - RS, 95700-160

secretaria@paroquiasantoantoniobg.com.br

CONECTE-SE